Clealco

No final da d�cada de 70, o petr�leo, matriz energ�tica que o pa�s importava, passava por uma crise. O pre�o do barril subia constantemente, gerando incertezas na economia nacional. Para acabar com a dependencia do petr�leo importado, o Governo Brasileiro lan�ou o projeto de plantio da cana-de-a��car para a produ�ao do etanol combust�vel, uma nova alternativa de matriz energ�tica. Por causa da produ�ao do etanol, o impacto da importa�ao de petr�leo na economia nacional diminuiu. A produ�ao da nova matriz energ�tica brasileira gerou mais empregos na zona rural do pa�s. Atendendo ao apelo do Governo Brasileiro, pol�ticos, pecuaristas e agricultores apostaram na nova atividade de gera�ao de energia renov�vel na regiao de Clementina. Eles formaram uma associa�ao para reunir terras para o plantio de dois mil alqueires e viabilizar a constru�ao de uma usina. No dia 5 de dezembro de 1980, reuniram-se os acionistas em assembl�ia geral, constituindo formalmente a empresa. Em 11 de janeiro de 1981, foi aprovado o Projeto pelo CENAL (Conselho Nacional do �lcool). Logo depois, come�aram as obras da destilaria. A moagem da primeira safra ocorreu em 1983. A cria�ao da usina proporcionou empregos diretos e indiretos para Clementina e 26 munic�pios da regiao. A empresa trouxe melhoria na qualidade de vida para popula�ao de Clementina.